sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Maratona Érico Veríssimo

  Após um tempo sem postagens, retorno com alguns informes sobre a Maratona Érico Veríssimo, evento que ocorrerá em todas as escolas da Rede Municipal.
  Nossa escola iniciará o trabalho com palestras, feitas pela Sala de Leitura, que sensibilizará os alunos para conhecer o autor.
  Em seguida, começarão as oficinas de leitura e escrita, para culminar nas redações que disputarão a melhor colocação na Academia Brasileira de Letras, que promove o concurso junto à SME.
  Vamos começar conhecendo um pouquinho sobre Érico Veríssimo.
Érico Lopes Veríssimo nasceu em Cruz Alta-RS em 17 de dezembro de 1905, filho de uma família de prestígio do interior.
Aos 13 anos, Érico Veríssimo já lia autores nacionais e estrangeiros com desenvoltura. Em 1920 foi estudar em Porto Alegre, no Colégio Cruzeiro do Sul. Seus pais separam-se em 1922.
Sua mãe, o irmão e a irmã foram morar na casa da avó materna. Para ajudar no orçamento, Érico tornou-se balconista no armazém do tio, até que conseguiu uma vaga no Banco Nacional do Comércio. Nessa época começou a escrever seus primeiros textos.
A família se mudou para Porto Alegre, mas dificuldades financeiras os fizeram voltar a Cruz Alta, e Érico voltou a trabalhar como bancário, mas acabou aceitando a proposta de um amigo de seu pai para tornar-se sócio da "Pharmacia Central".
Em 1927, além das obrigações da farmácia, dava aulas de literatura e inglês. Começou a namorar sua vizinha, Mafalda, então com 15 anos.
Em 1929 Érico publicou alguns contos no jornal da cidade. Com a falência da farmácia em 1930, o autor mudou-se para Porto Alegre. Passou a conviver com escritores renomados, como Mario Quintana, Augusto Meyer, Guilhermino César e foi contratado para o cargo de secretário de redação da "Revista do Globo".
Em 1931 casou-se com Mafalda Halfen Volpe e começou a trabalhar como tradutor. Em 1932 passou a atuar no departamento editorial da Livraria do Globo. Sua obra de estréia, "Fantoches", era uma coletânea de histórias em sua maior parte na forma de peças de teatro.
Em 1933, seu primeiro romance, "Clarissa" foi lançado e fez sucesso. Em seguida, "Música ao longe", foi agraciado com o Prêmio Machado de Assis. Outro romance, "Caminhos cruzados", recebeu o Prêmio Fundação Graça Aranha. Foi publicado, ainda naquele ano "A vida de Joana d'Arc".
Em 1934 e 1935, nasceram seus filhos Clarissa e Luis Fernando (o famoso Luis Fernando Veríssimo)
Em viagem ao Rio de Janeiro, Veríssimo fez contato com vários escritores, como Jorge Amado, Carlos Drummond de Andrade e  José Lins do Rego.
Publicou, nessa época, vários livros para crianças.
Em 1938 lançou um de seus maiores sucessos, "Olhai os lírios do campo".
Em 1941 passou três meses nos Estados Unidos, a convite do Departamento de Estado americano. Suas impressões dessa temporada estão no livro "Gato preto em campo de neve".
Temendo a ditadura Vargas, Érico aceitou o convite para lecionar Literatura Brasileira na Universidade da Califórnia e mudou-se para os Estados Unidos com a família.
De volta ao Brasil lançou, em 1946, "A volta do gato preto" e começou a escrever "O tempo e o vento". Previsto para ter um só volume, com aproximadamente 800 páginas, e ser escrito em três anos, acabou ultrapassando as 2.200 páginas, sob a forma de trilogia, consumindo quinze anos de trabalho.
Em 1953, a convite do governo brasileiro, Érico Veríssimo assumiu em Washington (EUA) um cargo na Organização dos Estados Americanos, substituindo a Alceu Amoroso Lima. Visitou diversos países da América Latina.
Em 1962 acabou "O Arquipélago", concluindo a trilogia de "O tempo e o vento".
Em 1971, "Incidente em Antares".
Em 1973 lançou um livro de memórias, sob o título de "Solo de clarineta".
Deixou inacabado o segundo volume de suas memórias, além de esboços de um romance que se chamaria "A hora do sétimo anjo", quando morreu subitamente, em 28 de novembro de 1975.


Nenhum comentário:

Postar um comentário